Ata da reunião de 21/08/2017 – interna

Pauta

A reunião de hoje deu continuidade à discussão sobre a organização da rede Sonora.

  • Foi lembrado que a Sonora se intitula rede, mas não tem agido como tal. Nota-se falta de liberdade e autonomia nas pessoas que a integram.
  • A ideia de definir um núcleo duro, levantada no encontro anterior, foi questionada. A dúvida é como resgatar o sentimento de pertencimento ao grupo sem que este pertencer signifique um posicionamento a ser aprovado ou julgado.
  • Foi apontado o fato de que a Sonora abarca várias instâncias, uma formada por pessoas que frequentam as reuniões presenciais e/ou por hangout; uma lista de e-mails frequentada por pessoas interessadas nas diversas formas de músicas e de feminismos; um ou mais grupos de whats up; um site; uma página no facebook, etc. Entender esta diversidade e dar espaço para as pessoas atuarem de acordo com suas possibilidades e seus interesses em cada momento parece ser uma das demandas.
  • Levantou-se a hipótese de marcar uma reunião especial, em horário especial, para dialogar sobre os novos caminhos da rede em seu processo de reestruturação com quem não pode estar no horário habitual das segundas-feiras. Tania se prontificou a elaborar um email-convite para este encontro, enviando-o primeiramente para as pessoas que estavam na reunião de hoje.

 

Outros assuntos tratados no encontro de hoje foram:

  • Manifesto sonoro Mayara Amaral a ser apresentado no congresso da ANPPOM. Mariana e Flora se ofereceram para tocar / improvisar sobre as gravações pré-processadas, que estão sendo enviadas por participantes da rede ao link indicado na lista de emails. Isabel está responsável pelo processamento dos áudios. Mariana se propôs a mandar um novo email à lista lembrando sobre o envio de áudios.
  • Além do manifesto sonoro, vai ser lida a carta inicialmente pensada para ser um abaixo-assinado em parceria com a presidência da ANPPOM.
  • Participação de integrantes da Sonora na assembleia do congresso da ANPPOM através da leitura de um texto comentando a conquista de espaço para crianças no congresso e o posicionamento da rede em relação ao abaixo-assinado sobre a morte de Mayara Amaral. A decisão sobre participar ou não ficou para a semana que vem.

 

Próxima reunião

  • Resolução sobre assembleia da ANPPOM.

Ata da reunião de 14/08/2017 – interna

Pauta

A reunião de hoje se destinou, principalmente, a discutir a organização da rede: formas de participação, vínculos institucionais, canais de comunicação, dinâmicas dos encontros, etc. Esta era uma demanda antiga, que vinha sendo adiada, às vezes por falta de quórum, outras vezes por urgência de outras demandas que se sobrepuseram.

Também havia sido marcado para hoje o levantamento e processamento das gravações enviadas por integrantes da rede para o manifesto sonoro para Mayara Amaral, mas não houve tempo hábil..

  • Em relação às formas de participação, foram retomados alguns temas como quem é a rede e quem se sente parte da rede. Foi lembrado que o formulário realizado pela Tania em 2016, auxiliado pela Camila e outrxs, mostrou que muitas pessoas que quiseram preencher o formulário não necessariamente eram bastante ativas no cotidiano da rede, mas se sentiam parte dela.
  • Já tinha sido sugerido pela Isabel, via whats up, que a rede definisse um núcleo duro para se responsabilizar por projetos e decisões. Estes projetos e decisões seriam divulgadxs na lista. Foi falado em estipular prazos para que pessoas do núcleo duro possam entrar e sair deste núcleo.
  • Foi sugerido fazer um convite aberto na lista para pessoas interessadas em fazer parte do núcleo duro.
  • Valéria sugeriu que fossem formadas comissões por projetos em vez de por períodos, para que não haja um engessamento de funções. A rotatividade é importante, para não sobrecarregar pessoas e, ao mesmo tempo, para capacitar a todxs da rede.
  • Lilian levantou a questão da confiança nas comissões e respeito ao trabalho das mesmas. Existem decisões mais e menos delicadas, que devem ser levadas em conta.
  • Tania sugeriu que o núcleo duro tenha determinados fundamentos comuns, como regras a serem respeitadas.
  • Flora colocou algumas de suas experiências no coletivo feminista para dar exemplos de ações colaborativas.
  • Foi colocada a importância do apoio mútuo, da possibilidade de rever decisões, retomar ações, como o próprio abaixo-assinado para a Mayara Amaral. Todxs concordaram em que as reuniões não são definitivas em quanto a posicionamentos e projetos, que tudo pode ser repensado e temas que ficam em aberto podem e devem ser retomados. Foi discutido o fato de que as vezes as desconfianças criam barreiras.
  • Ao mesmo tempo foi colocado que a Sonora tem uma atuação política e que deve assumir isso. A dificuldade é a pluralidade de ideias, que também precisa ser respeitada. É um desafio da Sonora lidar com tudo isso.
  • Alguns assuntos internos sobre o painel que a Sonora mandaria à Anppom no congresso deste ano foram retomados e discutidos. Foi importante o fato de varias pessoas se abrirem e serem ouvidas.
  • Foi colocado o problema da centralização da rede em São Paulo, na USP e no grupo mais constante nas reuniões. Este ponto deve ser mais refletido pela rede.

Próxima reunião

  • Ficou decidido que a pauta da próxima reunião será a definição do núcleo duro da rede, bem como das possíveis comissões para projetos específicos.
  • Também ficou para o próximo encontro o levantamento e processamento dos arquivos de áudio para o protesto sonoro Mayara Amaral.

Ata da reunião de 07/08/2017 – primeira do 2º semestre

Pauta

A primeira reunião do 2º semestre foi dedicada a assuntos propostos no último encontro de junho, bem como a temas que surgiram durante as férias de julho. Foram tópicos discutidos:

  • Abaixo-assinado sobre o assassinato da violonista Mayara Amaral
  • Convite do Alexandre Zamith para performance-homenagem à mesma
  • Organização da rede
  • Convite do Thiago Cury para a Sonora participar, com ele, do edital Proac de 2017

Abaixo-assinado

Foi discutida a relevância de se fazer um abaixo-assinado separadamente ao da ANPPOM, já que, enquanto aquela tem acesso a direcionar seu documento para outras instituições de ensino ou até do âmbito jurídico, a rede Sonora não teria as mesmas condições.

Assim sendo, decidiu-se fazer uma fala na plenária do congresso da ANPPOM, esclarecendo que a Sonora foi convidada para fazer o abaixo-assinado juntamente com a associação, mas divergiu em torno do termo feminicídio.

O texto originalmente confeccionado e aprovado pela Sonora será lido no tempo oferecido pelo Prof. Zamith para uma performance-homenagem-manifesto durante o congresso da ANPPOM, justamente quando Mayara faria uma performance sobre seu trabalho a respeito das compositoras de violão.

Convite do Prof. Zamith para performance-homenagem-manifesto a Mayara Amaral

Em relação ao convite feito à Sonora para fazer uma performance em homenagem e/ou manifesto pelo assassinato da violonista Mayara Amaral, foi decidido realizar uma intervenção pré-gravada e processada com as vozes das pessoas da lista interessadas em assinar o abaixo-assinado originalmente proposto pela Sonora. Cada gravação poderá ter até 1 minuto, em que as pessoas poderão externar sua consternação e/ou indignação pelo terrível ocorrido. O título da intervenção será o sugerido pela irmã de Mayara em texto previamente publicado no site da Sonora: “Que sua partida não seja silêncio”.

Foi feita uma chamada na lista para esta intervenção. As contribuições deverão ser enviadas em drive, arquivo wav, até o dia 14/8 por e-mail. Isabel se ofereceu para processar as gravações, com a ajuda da rede. O endereço a ser enviado o material é o link do google drive criado nesta reunião para este fim. Há abertura para sugestões e ideias em torno do tema. Foi feito um convite para que pessoas interessadas se envolvam também na fase do processamento das vozes, que pode ser realizada antecipadamente ou em tempo real.

Organização da rede

Em vista do pequeno número de pessoas presentes à reunião de hoje, o tema “organização da rede” foi mais uma vez adiado. Foi enviado um convite à lista para quem puder participar da próxima reunião, chamando atenção para a urgência de tratarmos o assunto tantas vezes pleiteado, sem mais adiamentos.

Convite do Thiago Cury

Em relação ao convite enviado à Sonora por Thiago Cury – para gravar um CD com obras de compositoras da rede a serem selecionadas mediante edital para participar do Proac 2017 -, foi considerado que o prazo limite (uma semana) é muito escasso para realizar uma proposta a contento da rede.

Próxima reunião

  • Organização da rede: formas de participação, vínculos institucionais, canais de comunicação, etc

 

Ata da reunião de 19/06/2017 – interna

Pauta

A reunião de hoje foi iniciada enfocando os últimos eventos realizados pela Sonora, em especial a série Vozes com a compositora Denise Garcia e o GE que o antecedeu. Seguiu conforme agenda prevista no cronograma do fim de semestre, definido no encontro do dia 15/5, com a temática da organização e estrutura da rede. Alguns assuntos pontuais também foram tratados, uma vez que este foi o penúltimo encontro do semestre.

  • Sobre a entrevista da Denise Garcia, foi retomado o ambiente informal e aberto do encontro, em que a compositora contou sua trajetória. Como as questões de gênero costumam influenciar tomadas de decisões nas carreiras das mulheres, em especial as compositoras, este tema foi abordado e discutido. Foi comentado que faltou tempo para aprofundar o conhecimento sobre a obra da Denise, o que estimula a rede a pensar num novo encontro com a autora mais para a frente.
  • Outro ponto levantado foi o convite recebido por Eliana, mediante indicação da Valéria, para participar do III Coloquio Ibermúsicas a se realizar no Chile em agosto de 2017. O colóquio homenageará o centenário da compositora chilena Violeta Parra e enfocará questões de gênero na música. Onze países participam da organização Ibermúsicas, e o Brasil é um deles. Eliana vai basear sua fala no evento em sua experiência pessoal de pianista, na sua pesquisa sobre compositoras latino-americanas, e sobre a rede Sonora e sua contribuição para dar visibilidade à produção musical das mulheres.
  • Eliana trouxe também para o grupo a problemática de realizar uma serie de recitais com obras de mulheres, tarefa que faz parte de seu Pós-Doc. Este projeto, proposto no seu plano de atividades para a ECA-USP, pretende envolver alunos e professores em torno do repertório composto por mulheres. Porém, tem encontrado resistência para ocupar espaços físicos e simbólicos em que os concertos possam se efetivar. A Sonora se propôs a pensar em como apoiar seu projeto, organizando um recital específico com composições de mulheres a ser feito, por exemplo, no mês de  setembro.

Sobre os textos a serem lidos e discutidos para o encontro de hoje com a temática “organizações e estruturas de redes”

Como não foram definidos textos para hoje, a não ser a sugestão do Davi enviada anteriormente por e-mail e outras enviadas pela Tania no próprio dia do evento, o GE sobre organizações e estruturas de redes não teve possibilidade de acontecer. Ainda assim, houve uma discussão sobre o funcionamento da Sonora, sobre o núcleo que se reúne na USP, sobre o apoio do NuSon a este grupo cedendo sala e equipamentos e sobre como funciona o relacionamento deste núcleo com as(os) integrantes de fora de SP.

  • O 13º Fazendo Gênero foi citado como um momento de possibilidade de contato presencial entre membrxs da rede que vão para o congresso em Florianópolis.
  • Foi discutida e incentivada a ideia de que membrxs da Sonora que participam de fora de SP tomem a iniciativa de organizar atividades das quais todxs possam participar online. Foi sugerida a realização de um curso a ser ministrado pelo grupo da Camila, Tania e Isabel sobre feminismos e feminismo na música. Outras atividades, como a realização de edições da Encontra Sonora em João Pessoa ou em Florianópolis, foram pensadas.
  • Foi mencionado o desejo de propor que haja transmissão do Simpósio proposto pela Sonora no Fazendo Gênero, via hangout.

Próxima reunião – GE sobre organização e estrutura de redes feministas

26/6 – Foram selecionados os seguintes textos para discussão:

  1. “Por que a auto-organização é importante para as mulheres? ”Disponível em: http://blogueirasfeministas.com/2015/07/por-que-a-auto-organizacao-e-importante-para-as-mulheres/
  2. “O desafio feminista para organizações políticas tradicionais” Disponível em: http://www.insurgencia.org/o-desafio-feminista-para-organizacoes-politicas-tradicionais/
  3. “Feminismos web: linhas de ação e maneiras de atuação no debate feminista contemporâneo” Disponível em: https://mail.google.com/mail/u/0/#inbox/15c56839c2764d4c?projector=1

Mariana ficou de mandar um email com os textos e links dos mesmos na lista.