roda de conversa

Maternidade e Feminismos

Com mediação de Flora Holderbaum e Lílian Campesato

28/11, seg, 17h30-20h, Departamento de Música da ECA-USP (Sala 12)

Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443

 

Desde a primeira onda feminista, a maternidade se constitui como um dos elementos-chave que tensiona a potência do movimento feminista, tanto para a afirmação de sua força, conferindo poder e domínio às mulheres, quanto para explicar a dominação de um sexo sobre outro: o papel social exclusivo da mulher-mãe. A construção ideológico-histórica da função da mulher perante a sociedade pode ajudar a explicar a dificuldade que temos em juntar maternidade e feminismo. É possível ser mãe e feminista na sociedade em que vivemos? A partir dessa e de outras perguntas, propomos uma roda de conversa para estimular um pensar coletivo sobre esse tema.


flora_1Flora Holderbaum

É violinista, pesquisadora, compositora e poeta dos parêntesis. Seu trabalho envolve pesquisa e prática com poesia sonora, arte sonora e música instrumental. Faz parte do núcleo de Sonologia da USP, onde é doutoranda em Processos de Criação Sonora. Tem apresentado trabalhos em diversos eventos e locais no Brasil, entre eles a II Bienal de Curitiba (PR), EIMAS (MG), ENCUN (RJ-SP) e FIME (SP).

 

 

 

 

img_4155Lílian Campesato

É musicista e pesquisadora com ênfase na experimentação de meios híbridos e não usuais de criação sonora, especialmente em performances. Seus trabalhos exploram o uso da voz e gesto combinados a recursos eletrônicos e audiovisuais interativos. Tem se apresentado regularmente como artista sonora e performer em eventos no Brasil e exterior, como em Portugal, Espanha, Reino Unido, França, Alemanha, Dinamarca, Colômbia, Argentina. É doutora pela USP com uma tese a respeito das relações de incorporação e rejeição do ruído na música Realizou pós-doutorado junto ao NuSom  (Núcleo de Pesquisas em Sonologia da USP) com uma pesquisa que investiga os discursos acerca dos contornos e limites da música. Foi uma das criadoras da rede Sonora, um grupo dedicado à discussão da participação das mulheres na música. Atualmente se dedica intensamente à sua filhinha Alma de apenas três meses.

Compartilhar: