simpósio temático 13ºMM & FG11

Sonora convida a todas/os/es para enviarem suas propostas de comunicações para o simpósio temático “A produção sonora de mulheres: processos, práticas e poéticas em situações de deslocamentos, atravessamentos e interseccionalidades”, que foi gestado coletivamente por integrantes da rede.

Sob coordenação de Isabel Porto Nogueira (UFRGS) e Laila Rosa (UFBA), o simpósio integrará o evento conjunto 13º Congresso Mundos de Mulheres & Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 que acontecerá entre 30 de julho e 4 de agosto de 2017 em Florianópolis, no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O prazo para envio de propostas é 13/02/2017.

 

Informações importantes


A produção sonora de mulheres: processos, práticas e poéticas em situações de deslocamentos, atravessamentos e interseccionalidades.

Coordenadoras: Isabel Porto Nogueira (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Laila Rosa (Universidade Federal da Bahia)

 

Resumo: Esse simpósio temático pretende congregar trabalhos que se proponham discutir e refletir sobre a atuação e a produção artística e cultural de mulheres no campo da música, tanto na área de performance, interpretação, produção, composição, improvisação, como em qualquer prática criativa que dialogue de alguma forma com o som, com foco em situações de deslocamentos, atravessamentos e interseccionalidades, potencializando questionamentos sobre as categorias naturalizadas e modelos hegemônicos. Kimberlé Crenshaw (1991, p. 1245) ressaltou a importância da perspectiva da interseccionalidade entre raça, gênero, classe social, sexualidade, e outros marcadores sociais da diferença, para compreender os múltiplos níveis de identidade quando consideramos o modo pelo qual o mundo social é construído. Esses panoramas nos mostram algumas das transformações que buscamos ao mesmo tempo construir e estimular, mapeando os possíveis deslocamentos, atravessamentos e transformações – objetivos e subjetivos – que as mulheres que atuam na criação musical vivem ou viveram, seja em suas práticas ou em suas formulações e reflexões teóricas e/ou poéticas. Observamos em nossas próprias vivências, práticas e reflexões teóricas que os aportes produzidos pelas críticas feministas, pelos estudos de gênero e pelos feminismos contribuem para a compreensão das diversas dimensões dos nossos papeis (político, de trabalho e performativos), assim como são essenciais para o desenvolvimento de estratégias de enfrentamento às matrizes de desigualdade no universo das músicas e da criação sonora. Numa perspectiva antirracista, anticlassista, anti-lesbo-homo-transfóbica, (entre outras matrizes de desigualdade) o simpósio busca dialogar com os feminismos, os estudos de gênero, os cyberfeminismos, a produção artística-musical-sonora de ou sobre mulheres e/ou em perspectivas de gênero ou feministas, e com os artivismos, visando contribuir com os protagonismos, deslocamentos, transformações, conexões e reposicionamentos de artistas mulheres e lideranças culturais femininas nas músicas dentro de uma proposta decolonial de criação de espaços de protagonismo e da promoção de novas comunidades de aprendizagem. Serão bem-vindos trabalhos em formatos abertos e dinâmicos, que incorporem viéses críticos e não-normativos em suas próprias constituições, e que proponham modos particulares de interação entre pesquisa, criação e performance. A proposta foi gestada pela Sonora, Coletivo de Mulheres na Música.

Palavras-chave: Música e Gênero; Descolonialidade; Performance musical; Criação Musical; Pesquisa Artistica

Compartilhar: