Ata da reunião de 02/12/2019 – Operacional

Informes

  • Lilian trouxe notícias da requisição que a Sonora fez para que a ECA providencie alguns trocadores para a escola. O diretor disse que encaminhou um pedido de pesquisa sobre como estes devem ser colocados, onde podem ser adquiridos, etc. O tema vai ser discutido na próxima reunião da congregação ou do conselho do CMU.
  • Marina disse que o projeto Carteadas vai ser publicado em breve no álbum do Sonatório – Desafios Sonoros. Ela trouxe a gravação final para aprovação do grupo.
  • Marina comentou o feminicídio ocorrido no mês passado na Universidade do Recôncavo Baiano. Ela sugeriu fazer uma chamada para um novo projeto Desafios-Sonoros abordando o tema do feminicídio, em homenagem à mulher assassinada.
  • Dani contou que em 2020 vai gravar um áudio para a sua tese. Ela convidou integrantes da Sonora para participar. Ela também está estudando a hipótese de realizar uma apresentação ao vivo na defesa.

Pauta

Laura Mello: nesta reunião a Laura, que mora fora do Brasil, esteve presente. Além de nos contar sobre sua trajetória profissional, Laura falou sobre seu projeto com o músico Alexandre Fenerich, intitulado Radio Pamonha.

  • Laura e Alexandre estão lançando um projeto chamado Distopia, com pequenos focos em cidades diversas. Para esta iniciativa ela convidou a Sonora para participar, aqui no Brasil. Seria o Distopia Brasil.
  • Ela comentou sobre uma galeria chamada SAVVY Contemporary, que também recebe projetos e realiza parcerias. Aqui no Brasil ela está em contato com o SESC.
  • Laura nos deu um livro sobre os festivais de música eletroacústica Heroins of Sound. O livro traz artigos sobre as edições de 2014 a 2018 do festival. Ela deixou um pendrive com dados do projeto para que vejamos depois.

GE Vanessa De Michelis, divulgação:

  • Marina ficou de fazer e Eliana vai postar no site e facebook.

Balanço de 2019:

  • 25/02: Foi decidido o pedido de participação da Sonora na Comissão de Direitos Humanos por meio de uma representante. A participação se efetivou em maio de 2019, quando a Eliana foi à 1ª reunião da comissão.
  • 25/03: 1ª Reunião Sonora de 2019 – Sonorização ao vivo de vídeo-arte de mulheres brasileiras / Apresentação da Rede Sonora. Material requisitado: objetos musicais / sonoros. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 20/05: GE sobre texto “Hydrofeminism: Or, On Becoming a Body of Water” de Astrida Neimanis. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 03/06: Visões com “Vozes Inaudiáveis”. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 10/06: GE sobre texto “Lauren Otamina e eu nos portões do fim do mundo”, de Jota Mombaça. Para esta atividade foi realizada uma leitura de tarô pelo integrante Francisco L. Ribeiro.
  • 24/06: Confecção de projeto com orçamento para projeto NuSom. Envio de programa de radio sobre Valéria Bonafé e Alma Laprida para Projeto Tsonami, na Bolívia. Os créditos deste programa estão disponíveis no site da Sonora.
  • 01/07: “Escuta:” com Jazzmin’s. Local: Espaço das Artes da USP. O vídeo do evento está sendo editado para ser disponibilizado no site da Sonora.
  • 19/08: Atividades ligadas à apresentação da Ópera P.R.I.S.M., realizada no Teatro Municipal. Valéria Bonafé participou da atividade “Roda Viva” e Lilian Campesato participou do podcast “Teatro Municipal”.
  • 29/10: Gravação de “Carteadas”, para o projeto Desafios Sonoros, (do Sonatório) no estúdio do CMU.
  • 25/11: Encontro com Tom Richards

Desejos para 2010:

  • Evento sobre maternidade;
  • Trazer pessoas que discutam sobre vocabulário, gênero-inclusivo. Isso se deu a partir de nossas discussões sobre o uso do “x”, “e”, “i”, “@” nos textos do site sobre a Sonora;
  • Fazer algo especial para os 5 anos da Sonora;
  • Convidar Thais para falar da pesquisa dela na Sonora;
  • Convidar Cláudio Bueno, Coletivo Explode! – que faz residência para um público LGBTQI+ para falar na Sonora/Nusom;
  • Convidar Daniel Lima, da frente 3 de fevereiro, movimento negro;
  • Retomar sessões de Escuta, cada pessoa trazia 3 escutas e apresentava o trabalho, fazia um post no site.
  • Flora e Irina falaram da importância de fazermos algo da Sonora na semana dos Calouros, para xs alunxs da graduação saberem que existimos.

Tarot – por Francisco Lauridsen:

  • Foi feita uma leitura para a Sonora enquanto grupo.

Calendário

  • 9/12 -GE com Vanessa De Michelis. Excepcionalmente às 14:00. Depois, pizza de encerramento.

Ata da reunião de 02/04/2018 – Vozes com Laura Mello

Laura Mello é compositora, artista sonora e performer. Morando entre Berlim e Viena, ela passou por São Paulo e concedeu uma palestra/entrevista para a rede Sonora.

Ela contou sua trajetória, uma parte da qual se passou na Alemanha, estudando, e apresentou obras eletroacústicas e multimídia de sua autoria. Em seu currículo constam experiências com dança, teatro, edição de vídeo e outras vertentes artísticas. Esta atuação colaborativa abriu-lhe os sentidos para varias possibilidades.

A mudança para Berlim para fazer Doutorado se deu em 2006. O programa de Doutorado permitiu-lhe ter acesso a todas as universidades da Alemanha. Se aprofundou na composição com palavras, sons, ruídos, imagens, silêncio. Suas produções costumam fazer questionamentos, por exemplo, em relação à diversidade cultural, à falta de profundidade de algumas propostas, a ideias que vão surgindo. Muitas vezes utiliza o humor para levantar tais questões.

Em 2009 realizou “Josephine Joseph”, produção que envolvia a ilusão cinematográfica de que duas pessoas se tornavam uma única. Havia a questão espacial também, com espelhos, pessoas do público que ficavam fora do ambiente em que os atores faziam movimentos sutis e pessoas que entravam neste recinto.

Ultimamente Laura tem trabalhado com um projeto autoral chamado “many media including me”. Gosta de mexer com as temporalidades, do filme, da música, de si mesma, etc. Foi mostrado um filme deste projeto, em que, como o nome diz, ela também atua.

Certa vez trabalhou com o Alexandre Fenerich sobre o “Bonde do Tigrão”, mixando gravações com vídeos feitos por eles, juntamente com a imitação de áudios que Laura experimentou trabalhando numa espécie de central telefônica de venda de ingressos em Berlim. Ela gosta muito de gravar em transportes públicos e usar estes materiais em outras ocasiões.

“São muitas coisas diferentes” – diz Laura. “Esta heterogeneidade é isso mesmo, eu trabalho desta forma”. Ela junta gravações, filmagens e tomadas ao vivo para obter determinados resultados sonoros, visuais e assim por diante. Um de seus trabalhos com rádio é “Living Radio”, e já envolveu varias pessoas.

No início de seus trabalhos com radio não havia streaming, era complicado captar varias pessoas em lugares e situações diferentes. Agora os recursos são bem mais sofisticados. Na serie Living Radio, a autora constrói programas a serem seguidos pelos atores/cantores/etc. Laura mostrou a partitura de uma peça, que conta com símbolos e indicações do que as/os performers devem fazer, sentir, entoar. Esta peça vai ser apresentada novamente em Berlim no festival Distopias.

Laura tem desenvolvido uma escrita que fica entre a linguagem musical e a literatura. Gosta de formar paralelos entre língua falada e música. Um de seus mais recentes trabalhos foi interativo e contou com a participação da Mariana Carvalho, Camila Zerbinatti e Renata Roman, entre outrxs. Cada participante devia fotografar a paisagem de sua janela e falar sobre o que estava vendo, sem usar termos subjetivos. Descrever o som como estivesse ouvindo, sentindo, vivenciando. Depois Laura uniu todos os depoimentos. No encontro de hoje ela mostrou alguns destes depoimentos.

Laura fala sobre explicitar o que não é declarado através dos sons e das atmosferas. A transmissão completa deste encontro pode ser acessada em http://youtu.be/BGGJdKL6jsw

 

Vozes – Laura Mello (Divulgação)

 

Laura Mello é compositora, artista do som e performer (piano, voz, movimento). Trabalha entre Berlim e Viena, em formações solo e em colaborações com outros artistas das áreas de Música Experimental, Arte Sonora e Performance. Formou-se em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) na UFPR, em Composição e Regência na EMBAP, com especialização em Estética da Música do Século XX na EMBAP e Composição Eletroacústica na Universidade de Música e Artes Dramáticas em Viena. Como doutoranda da Universidade Técnica (TU) de Berlim, frequentou cursos em áreas que vão da produção para rádio à teoria do Happening, passando por aulas de dança Contemporânea e participando dos concertos da classe de Composição Intermídia da Universidade das Artes (UdK). Sua obra engloba peças instrumentais, teatro musical, música eletroacústica, instalações sonoras e performances. Em sua atividade artística desafia as fronteiras convencionais entre formatos, mídias e linguagens. Desenvolveu ferramentas para auxiliar na composição de música experimental para meios visuais, em projetos didáticos abertos a alunos sem experiência musical. Há alguns anos vem se aprofundando na relação entre a música e a língua falada, explorando representações e possibilidades de releitura entre estas linguagens. Elabora desde 2008 um trabalho de Performance solo chamado “Composing for many media including me”.

 

Vozes é um espaço que recebe artistas mulheres para apresentarem e falarem sobre seus trabalhos. Com uma dinâmica mais informal, é um espaço aberto para a conversa e para o compartilhamento de experiências.

Haverá transmissão ao vivo através do nosso canal do Youtube. O link para a transmissão será postado em nossa página do FB alguns minutos antes do evento.