[Referências] Compositoras Latino-americanas com Eliana Monteiro da Silva e Valéria Bonafé

SOBRE O RECITAL “ESCUTA:”

1. “ESCUTA:” – Um recital-conversa em torno da antologia de Pós-Doc “Compositoras Latino-americanas: vida – obra – análise de peças para piano”, de Eliana Monteiro da Silva. E-book lançado pela Ficções Editora em 2019. Disponível em: http://ficcoes.com.br/livros/compositoras_la.html.

2. A corrida para o século XXI: no loop da montanha russa. Nicolau Sevcenko. Companhia das Letras, 2001.

3. PROGRAMA DO RECITAL:

  1. Gabriela Ortiz (Mexico) Preludio 1, dos Estudios entre Preludios. 
  2. Eunice Katunda (Brasil) Sonatina (1º movimento).  
  3. Graciela Paraskevaídis (Argentina/Uruguai) …a hombros del ruiseñor
  4. Cacilda Borges Barbosa (Brasil) Estudo Brasileiro n 1. 
  5. Valeria Bonafe (Brasil) Do livro dos seres imaginários: Kami, Odradék, Shang Yang e Haokah.  

SOBRE TRAJETÓRIA DE ELIANA

1. De Clara Schumann à Rede Sonora: Em Busca da história de mulheres na música – por Eliana Monteiro Da Silva. Linda – revista sobre cultura eletroacústica. Disponível em: https://linda.nmelindo.com/2016/06/de-clara-schumann-a-rede-sonora-em-busca-da-historia-de-mulheres-na-musica-por-eliana-monteiro-da-silva/

2. Clara Schumann: compositora x mulher de compositor. Eliana Monteiro da Silva. São Paulo, Ficções Editora, 2011. Disponível em:  http://www.ficcoes.com.br/livros/clara.html.

3. Beatriz Balzi e o piano da América Latina: a música erudita deste continente analisada a partir das gravações da pianista na série de CDs Compositores Latino-Americanos. Eliana Monteiro da Silva, 2014. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-20052014-154114/pt-br.php

4. www.sonora.me 

5. www.polymnia.webnode.com

6. www.duoouvirestrelas.com

7. www.elianamonteirodasilva.com 

SOBRE NILCÉIA BARONCELLI

1. Mulheres Compositoras elenco e repertório. Nilceia Baroncelli. Editora Roswitha Kempf, 1987. 

2. Nilcéia Cleide da Silva Baroncelli: compositora e pesquisadora sobre mulheres na música. Eliana Monteiro da Silva. Revista Claves 2018, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/claves/article/view/43812.  


Ao vivo da Sonora: Compositoras Latino-americanas com Eliana Monteiro da Silva e Valéria Bonafé

Qual é a relevância de falar sobre compositoras latino-americanas em meio à quarentena do corona vírus? Eliana e Valéria, da Sonora músicas e feminismos, conversam sobre as escolhas que nos trouxeram a 2020 e as mensagens presentes nas composições de mulheres por tanto tempo silenciadas. Para assistir a live entre em: https://www.facebook.com/sonoramusicasefeminismos/videos/519791095404101/

 

Assista ao vídeo Escuta: Eliana Monteiro da Silva, Compositoras Latino-americanas:

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/150096249758332/

Ata da reunião de 06/04/2020 – Operacional

Estiveram presentes: Mariana, Flora, Carolina, Lilian, Valéria, Manon e Eliana.

Houve uma rodada de testemunhos de como cada uma está vivendo este momento de quarentena.

Informes:

  • Live para lançar “Escuta:” com Eliana. Foi feito o teste com Carol, Valeria e Eliana e ficou acertado que a live será dia 13/4 as 18:00. Será na sequência da reunião semanal da Sonora. Marina poderá fazer flyer de divulgação?
  • Podcast: Mariana, Manon e Dani se reuniram para falar do podcast da Ximena. Elas conversaram sobre livros, autor@s e músicas citad@s pela Ximena na entrevista já realizada. Os sonhos, o tema da migração, entre outros, estão na pauta do podcast. Foi feito um roteiro e há intenção de incluir um exercício de deep listening. Para isso a Mari ficou de entrar em contato com a Ximena e pedir sons da cidade dela e de outras referências. Em relação à inserção de sonhos e referências de integrantes da Sonora, houve um consenso em trabalhar isso separadamente do podcast da Ximena. Estes elementos podem entrar no roteiro, mas não há espaço para expandir o assunto como é desejado.
  • O trabalho sobre sonhos será realizado como um projeto a parte. Mari, Lilian, Manon e Dani estão nesse projeto. Já havia uma ideia da Lilian de fazer um projeto sobre o contexto da pandemia e da quarentena. Os sonhos dialogam com essa ideia também, mas ainda não está claro como pode ser essa configuração.
  • Mariana contou que vai dar uma entrevista em breve, vai avisar quando for divulgada.

Calendário

  • 13/4 Live para lançamento do vídeo “Escuta:” com Eliana, Valéria e Carolina.
  • 13/4 Reunião operacional para discutir texto de Paul Preciado compartilhado pela Mariana.

[Referências] Desenho de som e os limites entre técnica e criação com Manon Ribat e Mariana Carvalho

Para quem quiser mais informações sobre o que foi citado (ou não) na conversa, aqui vai uma lista de referências !! (por Manon Ribat)

Obras sonoras da Arte radio (Focadas em paisagens sonoras):

https://www.arteradio.com/serie/amazonia

https://www.arteradio.com/son/616468/los_gritos_de_mexico

https://www.arteradio.com/son/61661382/notre_dame_burning

Filmes e séries para assistir com os ouvidos abertos: 

Mon oncle (Jacques Tati); 
Bande de filles (Celine Sciamma); 
Blow out (Brian de Palma); 
Ex-Paje (Luiz Bolognesi); 
Chernobyl (Johan Renck); 
Blindness (Fernando Meirelles); 
The crown (Peter Morgan); 
The Handmaid’s Tale (Kari Skogland);Redemoinho (Jose Luis Villamarin); 
Va e veja (Elem Klimov); 
O menino e o mundo (Ale Abreu);
Como nossos pais (Lais Bodanzky).

Filmes que eu participei (comentados na conversa):

Socrates , Alexandre Moratto
Morto não fala, Dennison Ramalho
Pitanga, Beto Brant 
O filme da minha vida, Selton Mello
Elis, Hugo Prata
Bingo o rei das manhãs, Daniel Rezende

O que é foley?

O pinewood studios é uma referência no meio de som para cinema. Achei esse vídeo bem explicativo sobre o assunto. 

O que seria o  desenho de som para cinema? 

A Paula Fairfield é sound designer e trabalhou nos efeitos sonoros de Games of Thrones 

Livros de referência: 

A educaçao sonora, Murray Schafer
The soundscape (A afinação do mundo), Murray Schafer 
The foley grail, Vanessa Ament

Mulheres-maravilhas do som para cinema (BR): 

Para quem quiser saber mais sobre o trabalho delas, entrem no site IMDB (https://www.imdb.com/) e digitem o nome delas ! 🙂

Miriam Biderman (Supervisora de pós-produção de som, editora de diálogo)
Tide Borges (Som direito para cinema)
 Andreia Freire (artista de foley)
Guta Roim (Artista de foley)
Rosana Stefanoni (Mixadora, editora)
Raiza Rodrigues (Editora de diálogo e dublagem)
Vanessa Gusmao (Editora de som para cinema, foley e ambientes) 
Marina Mapurunga (Sound designer)
Bianca Martins (Editora de som para cinema)

Coletivo de mulheres no Audiovisual francês: 

http://collectif5050.com/en

Ata da reunião de 23/03/2020 – Operacional

Estavam presentes Marina, Eliana, Lilian, Tide, Flora, Carolina, Mariana, Rafaela e Valéria.

Informes

  • Cada qual falou de si e de como estão as coisas neste período de confinamento. Dividimos informação sobre técnicas, ideias e relatos sobre aulas, reuniões, trabalhos e vida.
  • Tide e Marina iniciaram uma pesquisa sobre mulheres que trabalham com som no cinema, em áreas diversas desta vertente. A metodologia é inspirada na conversa entre mulheres citada em um artigo da Lilian e da Valéria. Esta pesquisa é para um livro sobre mulheres no cinema.
  • Carolina tem qualificação marcada para esta semana.
  • Tide tem defesa marcada para abril.
  • Escuta Eliana está em fase de finalização. Marina está se empenhando nesta tarefa.
  • Material da Encontra Sonora foi finalizado pela Lucia e está no drive da Sonora.

Pauta

  • Rodada de conversa para saber como cada integrante está neste período de confinamento.
  • Podcast – ouvir o que já fizemos e mais um para comparar. Começaremos pelo da Ximena.
  • Ações da rede – Tide gravou um áudio para o projeto Sonora vírus. Quem puder/quiser ser @ próxim@ avise por zap e ela manda por email.  
  • Horário reunião: das 16:00 às 18/19:00? Marina ficou de fazer um doodle, mas foi sugerido mandar esta sugestão de horário no zap.

Calendário

  • Sem datas marcadas até segunda ordem…

Ata da reunião de 09/03/2020 – Operacional

Informes:

  • Fraldário – A Sonora recebeu um e-mail da Direção convidando para uma reunião no dia 10/3 às 10:30. Como nenhum(a) de nós poderia ir nesta data, enviamos um e-mail resposta pedindo para agendar outro dia e horário. Foi sugerida a data 1/03 ou 13/03.
  • Creche – Haverá um piquenique/ato feminista dia 11/3 que sairá da Praça do Relógio e marchará até a creche. São diversas as pautas abordadas no ato e a recuperação da creche é uma delas. Foi sugerido que a Sonora propusesse uma ação em prol dessa recuperação também, em outra circunstância. Há informação de que o Coletivo Feminista e o CALC estão interessados e se reunindo em torno dessa causa.

Pauta

  • Créditos – Como pontuar/contabilizar as ações que fazemos há 5 anos? Seria bom padronizar os relatos das nossas pesquisas, entrevistas, podcasts, etc., na hora de colocar no Lattes, por exemplo? Foi sugerido fazer um GE com textos que falem sobre organizações, grupos de estudos no CNPq e outros formatos.  
  • Acolhimento – Foi colocada a questão de como acolher relatos de abusos e/ou assédios na universidade. Foi falado sobre a representação da Sonora na Comissão de Direitos Humanos e em como estes casos podem ser encaminhados à CDH.
  • 5 anos da Sonora – Foi sugerido criar um logo “Sonora 5” para marcar todas a publicações deste ano. Chico ficou de esboçar um logo.
  • Recepção de Calourxs – haverá um evento de recepção em março? Abril? Com que tema? Ficamos de nos dividir em 2 grupos, um para a recepção de calourxs e outro para o edital Ciência Cidadã, cujo limite é dia 16/3.
  • Edital Ciência Cidadã – Seria interessante para ativar a série Experimenta? Fazer uma serie de workshops daria visibilidade à Sonora?
  • Foi falado que o Sesc está dando oficinas de produção de podcasts. Este é um exemplo de atividade que a Sonora poderia propor.

Calendário

  • 16/3 Deadline do Edital Ciência Cidadã
  • 23/03 – Recepção de calourxs?
  • 30/03 – Visões com Vanessa De Michelis (parceria com NuSom.

Ata da reunião de 02/03/2020: Primeiro encontro de 2020.

por Mariana Carvalho

Apresentação e boas-vindas a Rafaela Martinelli

Informes:

  • Derivas da Escuta – experiência imersiva conduzida por Ritamaria e Mariana Carvalho no próximo sábado, 07/03, na A Casa Tombada. Mais informações e inscrições no site: https://acasatombada.com.br/derivas-da-escuta-2-com-ritamaria-e-mariana-carvalho/
  • ANPPOM anunciou no facebook que nesta edição estão providenciando um espaço de acolhimento para crianças, mães e pais. Isso tem a ver com mobilizações da Sonora nos últimos anos (principalmente encabeçados pela Tânia Neiva). Sugestão de post da Sonora sobre isso.
  • Fernando Iazzetta compartilhou um edital aberto aqui dentro da USP (pró-reitoria) e pode ser de nosso interesse, principalmente para o projeto do podcast: edital de apoio a projetos de pesquisa com iniciativas de ciência cidadã”. Prazo limite: 16 de março. Programar uma reunião para isso.
  • O Gustavo Branco doou para nós o programa de um festival de Nova Iorque chamado “Focus” (organizado pela Giuliard School), que teve o último ano dedicado a compositoras. 
  • Projeto do NuSom – projeto temático mandado para a FAPESP – não foi aprovado. Mandamos propostas da Sonora dentro deste projeto, e também da Lílian e da Valéria relacionados. O projeto vai ser reapresentado e precisa de uma readequação, inclusive na parte da Sonora nele. Programar uma reunião para isso.
  • O projeto Vozes sem Palavras, Marina Mapurunga junto com o Sonatório (seu grupo na UFRB em Cachoeira) está pronto e vai ser lançado semana que vem. A Sonora gravou uma faixa para ele no ano passado. Pensar num texto de relato de processo para as redes
  • 8M e 14/03 (Marielle): Dia 05/03, mesa sobre o papel das mulheres nas lutas latino-americanas, na Prainha, organizado pelo Coletivo Feminista e o CALC, seguida de Quinta i Breja do Coletivo Feminista. Dia 08/03, domingo às 14h, ato unificado na Paulista (concentração na Praça Mário Covas, na altura do n.1800). Dia 11/03, quarta às 12h, vai ter um pique-nique feminista organizado pela DCE, Rede Não Cala, ADUSP e SINTUSP, na Praça do Relógio com passeata até a creche da USP. Dia 14/03, sábado às 17h: Quem Mandou Matar Marielle, dois anos de luto e luta, na Praça do Ciclista, Paulista.
  • Jazzmin’s: Manon encontrou com Paulo Assis: tudo está editado e mixado (quase pronto!), só falta mexer um pouquinho nas conversas. Falta a triagem dos takes de imagens das conversas. Falaram sobre o aprendizado do processo e como fazer melhor das próximas vezes.
  • Escuta: Eliana está pronto faz tempo e só falta a vinheta. Marina vai fazer a vinheta assim que entregar a qualificação. 
  • Trocadores vão ser instalados no prédio principal da ECA. 
  • Sonora vai fazer 5 anos em abril.

Desejos:

Val: Agora está no Pós-doc no CMU e a série Vozes os Podcasts estão relacionados ao projeto dela, a ver com poéticas sonoras nos trabalhos de mulheres. Também gostaria de contribuir mais com o tema maternidade e vida acadêmica (retomar isso) – espaços, impacto na produção e vida acadêmica.

Mari: podcast, série vozes, sessòes de escuta e grupo de estudos. Experimenta de gravação, ou juntar isso com alguma série escuta. Deep listening. Álbum Sonora selo Berro. Vozes com a Lílian. Traduzir site pro inglês e espanhol.

Rafa: criar coletivo de pessoas psico divergentes e falar da psico normatividade – evento da sonora relacionado a isso, série Visões ou GE. Fazer a ópera King Haralds Saga, de Judith Weir, aqui no CMU e em outros lugares, e que isso faça parte da série Escuta: . Trazer Judith Weir e Emily Thorner pro Vozes tb, ou seja transmitido ao vivo, em podcast ou vídeo, algo do tipo. 

Manon: Falar de compositoras de músicas para filmes no brasil, fazer um podcast sobre isso, pesquisar mais.

Tide: Finalizar todas as coisas começadas. Salvar vídeos do youtube no drive. Fazer outro Vozes. Organizar podcast no site. Organizar tudo lindamente como comemoração para os 5 anos. Vozes Manon tb.

Lílian: Escrever sobre a Sonora.  Sonora está fazendo 5 anos e já temos uma perspectiva para falar sobre a rede. Olhar para nós mesmas. Falar sobre créditos dos nossos trabalhos, como credita produção, como nos referimos. Fazer mais Vozes e os podcasts. Programa da Ximena Alarcón. Álbum Sonora selo Berro – 5 anos. Pensar mais sobre nossos focos e as demandas de cada trabalho. Falar sobre criação musical através da conversa: encontros sobre criação.

Flora: Ano de TCC – relações da sonora com isso. Chamar Ana Fridman pra Sonora. GEs: questão queer, pedagogia queer, monogamia e não monogamia nas relações em geral. Vozes Susana Igayara.

Reuniões necessárias:

  • edital da pró-reitoria
  • projeto do NuSom
  • balanço Jazzmin’s e como trocar sabedorias
  • site e materiais (domínio, arquivos)

Próxima reunião:

  • Edital da pró-reitoria (ler edital para semana que vem)
  • Falar sobre podcast (e edital)
  • Pensar neste ano voltado pra nós como 5o ano da Sonora. 
  • Calendário
  • Falar sobre recepcao de calouros

Ata da reunião de 09/12/2019 – GE “Arte Sonora é trabalho? Redes Afetivas, Indústria Cultural, Precariedade e Decolonialismos”. Com Vanessa De Michelis (via skype).

Vanessa De Michelis conduziu este Grupo de Estudos sobre Arte e Trabalho, pesquisa que vem desenvolvendo em seu Mestrado em Londres (Inglaterra) há alguns anos. Ela enviou, previamente, os textos Unpacking the Politics of Creative Labour, do livro “Be Creative: Making a Living in the New Culture Industries”– de Angela McRobbie –, e Setting the stage: the cultural and creative industries, entrepreneurialism, and the classical music profession, do livro “Gender, Subjectivity, and Cultural Work: The Classical Music Profession” – de Christina Scharff –, para que fossem lidos e discutidos neste encontro.

Vanessa iniciou dando um panorama de como foi sua escolha para estudar em Londres, as expectativas, as dificuldades, as frustrações por ser uma latino-americana no chamado Primeiro Mundo em meio a preconceitos e descompassos. Essa foi uma das razões de ela ter escolhido estudar Políticas Culturais em vez de Arte Sonora. Sua situação em meio às e aos artistas nascidos no mundo desenvolvido, com todo o suporte e background que isso implica e representa.

Ela descobriu Angela McRobbie, que estudou e estuda os processos sociais nos ambientes culturais. Angela pesquisa o apagamento das mulheres na contracultura de 1960-70, ao mesmo tempo em que artistas da contracultura iam se estabelecendo e, de certa forma, se institucionalizando nesse cenário. Artigos de Angela foram publicados em revistas femininas da década de 1970. Ela observa a presença das mulheres no mercado de trabalho.

Paralelamente, Vanessa mergulhou na história da indústria cultural a partir da Guerra Fria, a fim de desvendar os processos políticos que conformaram estes espaços de poder. Ela chama atenção para a importância dada à produção e circulação de materiais artísticos em detrimento do próprio conteúdo neles embutido. Durante a Guerra Fria, fez-se primordial sobrepor a ideia de criatividade à de cultura, até então vinculada a questões marxistas.

A criatividade é cultivada desde a infância para, um dia, ser aplicada ao mercado de trabalho. As universidades inglesas têm estratégias e setores voltados à inserção de alunas(os) no mercado de trabalho. Há uma ilusão romanceada a respeito das carreiras artísticas. Angela conta como a subcultura foi cooptada pelo mainstream, ainda que este não se interesse profundamente por ela.

A ideia de proletarização do trabalho artístico, a destruição dos sindicatos e organizações de classes e a narrativa de que as(os) artistas sairão vencedoras(es) por sua dedicação, persistência e talento, faz com que esta situação se mantenha, alimentando a crença no neoliberalismo.

Na Inglaterra, aproximadamente 10% da economia gira em torno das atividades culturais. Eles exportam cultura para o resto do mundo. No caso do Brasil, o número de pessoas empregadas na cultura equivale a 2% do PIB. Destas, a maior parte está empregada no âmbito do consumo: propaganda e marketing, aromas, sabores, coisas afins. A menor parte está na performance, artesanato, etc.

Algumas questões que emergiram da fala da Vanessa foram: quais São as reais perspectivas do Brasil se inserir no rol de países onde se pode viver de fazer arte? Quais são as chances de se realizar um sonho de ser profissional da arte? Quais são os rumos da pesquisa em humanas e, em especial, em música?

Enfim, os textos e as pesquisas trazidas pela Vanessa foram muito importantes para fechar o ano de atividades da Sonora, com reflexões para 2020 e para a vida.

Seguimos!

Ata da reunião de 02/12/2019 – Operacional

Informes

  • Lilian trouxe notícias da requisição que a Sonora fez para que a ECA providencie alguns trocadores para a escola. O diretor disse que encaminhou um pedido de pesquisa sobre como estes devem ser colocados, onde podem ser adquiridos, etc. O tema vai ser discutido na próxima reunião da congregação ou do conselho do CMU.
  • Marina disse que o projeto Carteadas vai ser publicado em breve no álbum do Sonatório – Desafios Sonoros. Ela trouxe a gravação final para aprovação do grupo.
  • Marina comentou o feminicídio ocorrido no mês passado na Universidade do Recôncavo Baiano. Ela sugeriu fazer uma chamada para um novo projeto Desafios-Sonoros abordando o tema do feminicídio, em homenagem à mulher assassinada.
  • Dani contou que em 2020 vai gravar um áudio para a sua tese. Ela convidou integrantes da Sonora para participar. Ela também está estudando a hipótese de realizar uma apresentação ao vivo na defesa.

Pauta

Laura Mello: nesta reunião a Laura, que mora fora do Brasil, esteve presente. Além de nos contar sobre sua trajetória profissional, Laura falou sobre seu projeto com o músico Alexandre Fenerich, intitulado Radio Pamonha.

  • Laura e Alexandre estão lançando um projeto chamado Distopia, com pequenos focos em cidades diversas. Para esta iniciativa ela convidou a Sonora para participar, aqui no Brasil. Seria o Distopia Brasil.
  • Ela comentou sobre uma galeria chamada SAVVY Contemporary, que também recebe projetos e realiza parcerias. Aqui no Brasil ela está em contato com o SESC.
  • Laura nos deu um livro sobre os festivais de música eletroacústica Heroins of Sound. O livro traz artigos sobre as edições de 2014 a 2018 do festival. Ela deixou um pendrive com dados do projeto para que vejamos depois.

GE Vanessa De Michelis, divulgação:

  • Marina ficou de fazer e Eliana vai postar no site e facebook.

Balanço de 2019:

  • 25/02: Foi decidido o pedido de participação da Sonora na Comissão de Direitos Humanos por meio de uma representante. A participação se efetivou em maio de 2019, quando a Eliana foi à 1ª reunião da comissão.
  • 25/03: 1ª Reunião Sonora de 2019 – Sonorização ao vivo de vídeo-arte de mulheres brasileiras / Apresentação da Rede Sonora. Material requisitado: objetos musicais / sonoros. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 20/05: GE sobre texto “Hydrofeminism: Or, On Becoming a Body of Water” de Astrida Neimanis. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 03/06: Visões com “Vozes Inaudiáveis”. O vídeo do evento está disponível no site da Sonora.
  • 10/06: GE sobre texto “Lauren Otamina e eu nos portões do fim do mundo”, de Jota Mombaça. Para esta atividade foi realizada uma leitura de tarô pelo integrante Francisco L. Ribeiro.
  • 24/06: Confecção de projeto com orçamento para projeto NuSom. Envio de programa de radio sobre Valéria Bonafé e Alma Laprida para Projeto Tsonami, na Bolívia. Os créditos deste programa estão disponíveis no site da Sonora.
  • 01/07: “Escuta:” com Jazzmin’s. Local: Espaço das Artes da USP. O vídeo do evento está sendo editado para ser disponibilizado no site da Sonora.
  • 19/08: Atividades ligadas à apresentação da Ópera P.R.I.S.M., realizada no Teatro Municipal. Valéria Bonafé participou da atividade “Roda Viva” e Lilian Campesato participou do podcast “Teatro Municipal”.
  • 29/10: Gravação de “Carteadas”, para o projeto Desafios Sonoros, (do Sonatório) no estúdio do CMU.
  • 25/11: Encontro com Tom Richards

Desejos para 2010:

  • Evento sobre maternidade;
  • Trazer pessoas que discutam sobre vocabulário, gênero-inclusivo. Isso se deu a partir de nossas discussões sobre o uso do “x”, “e”, “i”, “@” nos textos do site sobre a Sonora;
  • Fazer algo especial para os 5 anos da Sonora;
  • Convidar Thais para falar da pesquisa dela na Sonora;
  • Convidar Cláudio Bueno, Coletivo Explode! – que faz residência para um público LGBTQI+ para falar na Sonora/Nusom;
  • Convidar Daniel Lima, da frente 3 de fevereiro, movimento negro;
  • Retomar sessões de Escuta, cada pessoa trazia 3 escutas e apresentava o trabalho, fazia um post no site.
  • Flora e Irina falaram da importância de fazermos algo da Sonora na semana dos Calouros, para xs alunxs da graduação saberem que existimos.

Tarot – por Francisco Lauridsen:

  • Foi feita uma leitura para a Sonora enquanto grupo.

Calendário

  • 9/12 -GE com Vanessa De Michelis. Excepcionalmente às 14:00. Depois, pizza de encerramento.

Ata da reunião de 25/11/2019 – Operacional

Informes

  • Hoje foi a palestra do Tom Richards sobre Daphne Oram e seu Oramics. Tom apresentou sua pesquisa sobre a artista e o instrumento que ele construiu baseado nos arquivos da Daphne: o mini-oramics. Ele tocou obras como um madrigal da compositora Hildegard von Bingen e também algumas composições próprias. Varias(os) participantes do evento criaram obras que foram tocadas pelo mini-oramics.
  • A Vanessa De Michelis – responsável pelo contato com o Tom Richards – assistiu ao evento, fez perguntas a ele e depois entrou por hangouts na reunião da Sonora. Ela enviou o texto para o GE que vai acontecer dia 9/12 sob sua direção e condução. Esta reunião vai ser também para fazer o flyer de divulgação deste GE.

Pauta

  • Flyer de divulgação do GE com Vanessa De Michelis:
  • Mensagem de e-mail à lista antiga de e-mails da Sonora (Mulheres na música experimental): foi elaborada uma carta explicando a origem da lista de e-mails, sua trajetória e, agora, a mudança de planos da equipe organizadora das atividades da Sonora em relação a esta lista, já que temos um novo email. Desta forma, estamos nos desligando da manutenção da lista.  
  • Carteadas: foi ouvido o áudio do projeto.

Calendário

  • 2/12 – Fechamento, balanço das atividades de 2019, tarot e pizza.
  • 9/12 – GE com Vanessa De Michelis