Ata da reunião de 20/05/2019 – GE com o texto “Hydrofeminism: Or, On Becoming a Body of Water, de Astrida Neimanis

Nesta reunião estiveram presentes: Lilian, Tide, Dani, Mariana, Marina, Ana Laura, Eliana, Manon e Marisa Millan (nova). Vanessa e Valéria participaram por hangouts.

Todas se apresentaram no início da reunião.

GE

  • Mariana apresentou rapidamente o texto, falando que o conheceu quando estava em sua residência artística na Espanha. Mariana conheceu uma australiana, que sugeriu este texto num grupo de estudos lá, do qual participavam várias residentes como ela. O texto é de 2012.
  • Lilian falou dos tópicos que marcou em sua leitura:
  • Introdução
  • Lógica hídrica
  • Feminism leaks
  • Membrana e viscosidade
  • Pós-humanismo (more than human)
  • Ecotone (espécie de mangue?)
  • Transcorporeal creep
  • Hydrofeminism
  • Vanessa levantou os seguintes pontos: a conexão com o feminismo francês, que migrou para a Austrália na década de 1960. Estas autoras que Astrida cita – Helene Cixous, Luci Irigaray e Trinh Minh-há -, estavam estudando em Paris e têm uma genealogia diferente da estadunidense. Estavam estudando um feminismo que vinha da psicanálise. Estavam preocupadas com a política mas não só, uniam a questão indígena, ambiental, etc. Estas questões são australianas, não existem na França ou nos EUA. Foram estas autoras que influenciaram Astrida a procurar os vínculos com a água. Há um movimento intergeracional e transnacional.
  • Vanessa explicou que este grupo australiano gerou ao menos 4 grupos: o francês, o espanhol, o holandês e o italiano. É uma abordagem diferente das demais teorias feministas. Tem elementos da cultura queer, da dança e de outras áreas.  
  • Dani lembrou das culturas afro-brasileiras e de como a “umidade” da mulher a torna receptiva. Ao mesmo tempo, a estagnação criativa na mulher tem a ver com a estagnação das águas contaminadas (Dani lembrou do México, etc.).
  • Manon contou como chegou ao Brasil e percebeu a diferença entre o feminismo europeu e o brasileiro (latino-americano).
  • Chico observou que a autora fala de fluidez, mas também fala de separação, como as gramíneas do ecotone.
  • O grupo levantou a questão de quão relevante é discutir questões mais particulares quando existem problemas muito maiores que pedem medidas urgentes. Mas pensamos que estas coisas também são importantes.

Calendário

  • 20/5 – GE com texto Hydrofeminism. Colocar no informe a elaboração da carta sobre o trocador e divulgação.
  • 27/5 – Conversa sobre a radio e escuta do 1º programa. Elaborar a carta sobre o trocador para a Diretoria e pensar na divulgação.
  • 3/6 – Vozes Inaudiáveis (confirmado).
  • 10/6 – Teca convida Delalande (com NuSom). GE texto Chico.
  • 17/6 – Operacional para radio.  
  • 24/6 – Preparar tudo e mais flyer e divulgação Jazzmin’s.
  • 1/7 – Jazzmin’s no Espaço das Artes (confirmado) e Pizza!

Tarefas

  • Marina ficou de fazer flyer das Vozes Inaudiáveis.
  • Eliana ficou de mandar os materiais para esta divulgação (já foi pedido).

Para a próxima reunião

  • Sugestões: Pensar Vozes com Lilian, Marina, Mariana, Naty, Inés, Natasha, Júlia Teles (vozes) / Margareth Rago (Visões).
  • Definir data para arrumar site e redes sociais.
Compartilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *