Ata da reunião de 17/04/2017 – interna

A pauta da reunião de hoje não foi previamente definida devido à pendência de uma conversa sobre o painel que a rede Sonora estava elaborando para o Congresso ANPPOM 2017. Em meio à elaboração deste painel, do qual constariam 3 artigos sobre a formação e atividades da rede, percebeu-se que era um tanto precoce apresentar um painel sobre a rede sem termos tempo de amadurecer os artigos. Uma reunião sobre este processo está para ser marcada, mediante a possibilidade de todxs xs envolvidxs no painel.

Na ausência de uma pauta pré-estabelecida, aproveitamos para fazer alguns relatos de atividades realizadas nas últimas semanas, tais como:

  • Lilian contou sobre sua participação no evento Emancipa ECA, organizado pelo CALC. O evento contou com várias mesas, sobre Feminismo, Movimento Negro, LGBT, entre outras. Lilian participou da mesa sobre Feminismo, com a Lola Aronovich (que tem um blog feminista e participou por skype) e Juliana Gonçalves (jornalista, negra, colunista do site Brasil de Fato).

Lola falou sobre o feminismo no contexto político do golpe no Brasil. Lilian falou       sobre a Sonora e Juliana sobre pesquisadoras negras, que mesmo no ambiente acadêmico eram pouco conhecidas do público do evento. Lilian disse que o evento foi uma inovação no âmbito da ECA e que foi muito bem organizado. Ficou satisfeita em ter participado.

  • Mariana falou sobre o convite que a Sonora recebeu do Prof. Eduardo Monteiro para participar de um evento de música no dia 8 de março. Na ocasião consideramos que teríamos pouco tempo para realizar um evento como gostaríamos, mas a ideia continuou ressoando na rede como uma possibilidade de proposta futura (futuro próximo).
  • Flora, do Coletivo Feminista da ECA, falou sobre a participação do Coletivo na organização deste evento que a Sonora vai oferecer para a ECA. Ela disse que o próprio Centro Acadêmico está tentando unir estes coletivos para que mais pessoas participem dos mesmos. Muita gente, segundo Flora, se sente intimidada em integrar um coletivo. Num formato mais amplo, talvez mais pessoas cheguem.

Foi levantada a possibilidade de realizar um encontro com os coletivos para iniciar o contato. Uma proposta seria fazer uma reunião da série Visões dia 8/5 com alguns membrxs de cada coletivo. O nome do evento será “Coletivas”. Mariana e Flora ficaram responsáveis por convidar os coletivos para este evento.

Vamos providenciar cartazes impressos para divulgar o evento pela ECA.

  • Valéria falou sobre a mesa de debates organizada pelo IEB e CPF, no I Seminário Mulheres, Arquivo, Memória, em comemoração ao mês da mulher – Março. Na mesma mesa falou Carô Murgel, autora de uma pesquisa sobre cantoras brasileiras. Nesta mesa, Valéria falou sobre sua carreira de compositora e atuação no meio musical – marcadamente machista – e da rede Sonora. Valeria lembrou que o público do evento se interessou muito pela Sonora, elogiou e que o CPF convidou a rede para ocupar espaços oferecendo projetos de música, pesquisa e outros. Ela considerou muito especial esta oportunidade de falar sobre a rede a pessoas importantes da música e do feminismo.

Além dos relatos, algumas considerações foram pautadas na reunião:

  • Foi lembrado que muitos links interessantes são compartilhados na lista de e-mails e não têm sido adicionados no site. É preciso atualizar esta aba do site e disponibilizar maneiras das pessoas compartilharem diretamente no site.
  • Tânia sugeriu que façamos uma divisão de tarefas por localidade. Ela mencionou a necessidade da Sonora conversar sobre assumir papeis dentro da rede. Esta é uma temática importante para a rede.
  • Foi lembrado que o calendário online que foi feito no ano passado não tem sido alimentado, e que certas atividades divulgadas na lista de e-mails poderiam ser divulgadas nele para que nãos e percam em meio à velocidade da lista.
  • Em relação à lista, Valéria apontou que muitas pessoas que fazem parte não sabem direito do que se trata a rede.
  • Ariane lembrou de uma pauta que foi importante no início da Sonora, que é a misoginia no âmbito da música. Vários fatos que foram denunciados tiveram a denúncia retirada por medo. Todas concordamos que este tema deve ser discutido nos grupos de estudos.
  • Outro ponto importante é a colocação de prazos para determinar ações: uma semana, por exemplo. Neste prazo, quem responder participará e opinará de determinado evento ou contexto, e xs demais aceitarão o que for decidido. O objetivo é dar mais dinamismo à rede.
  • Foi proposto um doodle para marcar a reunião sobre o painel. Datas possíveis: entre 24/4 e 1/5, em qualquer horário.
  • No mesmo e-mail do doodle cada pessoa mandaria sugestão de 2 pautas para esta reunião.

 

 

 

 

Compartilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *