Espaço Aberto (bloco 2) – Ghost notes & Gruta

Tédio horizonte da rotina

Ghost notes & Gruta

 

“Tédio Horizonte da Rotina” é um projeto audiovisual de um filme que se constrói durante a performance.

A montagem que acontece em tempo real se dá através da manipulação de fotografias retroprojetadas, numa investigação aos princípios de teoria da montagem cinematográfica, como era feito com a moviola.

A mise em scène rompe com os limites conceituais das quatro paredes cinematográficas quando a extra diegese também pode ser entendida como parte do quadro, assim como a narrativa em voz off também pode ser entendida como voz over. Essa estrutura, aliada a voz que aparece e desaparece, tensiona esses limites de percepção do que se vê durante a criação e desenvolvimento da performance.

Tendo como base a cidade de Belo Horizonte, Ghost Notes (Jiulian Regine), expõe fotos tiradas dos mesmos lugares sob pontos de vistas praticamente iguais, retratando assim a rotina massiva dos trechos que percorreu durante o período de 5 meses. Desloca o ponto de vista habitual trazendo a cidade como observadora de seus habitantes, numa narrativa incansável sob as quinas inóspitas largadas nas madrugadas metropolitanas. Uma crítica a estética do abandono civilizatório e aos abusos psicológicos que a rotina nos causa.

A trilha que também é construída ao vivo é composta por Gruta (Anelena Toku) que utiliza um sintetizador e pedais de efeito para gerar camadas de som e ruídos que interpretam essa narrativa.

 

Ghost Notes [Jiulian Regine]

jiulian

É um projeto audiovisual de Jiulian Regine, que investiga através da imagem, estática ou não, a inquietação política do seu ser. Como viver na contemporaneidade sem sofrer os abusos sociais impregnados pelas construções civilizatórias? Esse descontento é a premissa de suas pesquisas poético-afetivas que tanto quanto a vida, habita a incoerência dos fatos para dar forma ao que se vê, pensa, fala e recorda em seus temas.

Jiulian Regine é baterista, estudante de fotografia, cinema, butô e co-fundadora do selo Hérnia de Discos. Atualmente toca nas bandas Post, Sara Não Tem Nome e La Burca.
Com 26 anos tem discos lançados, curta-metragens, video-arte e é performer.

 

Gruta [Anelena Toku]grut

Gruta é Anelena Toku, artista/artesã, vem desenvolvendo uma prática transdisciplinar ligada as artes desde muito cedo. Hoje tem focado sua pesquisa no universo audiovisual, principalmente documental.

Além do trabalho autoral, participa da Companhia Rapadura, coletivo de fotografia analógica que realiza exposições e publicações desde 2012.

Desde 2012, com o projeto Gruta, vem realizando gravações em estilo faça você mesmx com ruídos, camadas de vozes e outros instrumentos. Em 2015, formou o Fronte Violeta, duo de música experimental com Carla Boregas. As apresentações do Fronte Violeta envolvem experiências sonoras com beats eletrônicos somados a texturas criadas a partir de sintetizadores analógicos, digitais, osciladores caseiros, vozes, gravações de campo e loops. Ainda em 2015, lançaram o primeiro trabalho ‘Travessias’ em fita cassete pela Dama da Noite Discos.

Compartilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *